• OVNI Estúdio Criativo

Comunicação corporativa em tempos de crise.

Atualizado: 28 de jul.

Pontos a considerar, não só durante uma pandemia, mas em qualquer situação difícil.


Você já deve estar cansado de ouvir sobre coronavírus, né? Pois é, eu também. Entretanto, a pandemia está aí e temos de dançar conforme a música para sair dessa situação com o menor dano possível. Não quero chover no molhado e dizer que é melhor ficar em casa, lavar as mãos e cuidar dos idosos. Já deu para entender que isso é importante. A pergunta que fica é: se todo mundo for para casa, como fica a economia?


Mulher de máscara cirurgica preocupada com seus negócios durante a crise do COVID-19
Inseguranças e incertezas frente ao coronavírus.

Em situações assim, é normal ponderarmos sobre o que é mais importante. Acontece que uma coisa não existe sem a outra e é fato que nenhum país pode parar completamente. Imagine o caos numa situação dessas! Por outro lado, se ninguém cumpre a quarentena, como fica nosso sistema de saúde? E o psicológico, já frágil, das pessoas, sobretudo das que perderam ou perderão seus entes queridos? Não há para onde correr. Parece não haver uma resposta certa, sendo mais uma questão, talvez, de opinião.


Do ponto de vista do empreendedorismo os dilemas seguem. A empresa manda os funcionários para casa mantendo salários, mesmo que reduzidos, num momento no qual o faturamento também diminui. Quem tem seu negócio sabe quanto custa fazer as coisas direito e seguir a legislação. Em muitos casos, para não dizer na maioria, a folha de pagamento é onde o calo mais aperta.


Eu procuro ver as coisas pelo seu lado positivo. Algumas vezes os acontecimentos são tão desagradáveis que me vejo obrigado a inventar um, hehehe. Seguindo esse hábito, eu vejo o COVID-19 como um possível agente de mudanças e de quebra de paradigmas. Pelo menos, eu gostaria que fosse. Algumas ações que vou mencionar aqui podem não se aplicar a todos os modelos de negócio e, para outros, podem ser medidas permanentes. Agora sim entramos no assunto.


Trabalho remoto

Muitas empresas, sobretudo as prestadoras de serviço ou que têm departamentos de escritórios já adotaram, mas estão apanhando do conceito de home office. É preciso ter alguma infraestrutura para que seus funcionários trabalhem de casa com eficiência, como por exemplo, um servidor de rede, acesso à informações e à pessoas em cargos de decisão, boa conexão com a internet etc. Parece óbvio, mas vi muita gente indo trabalhar em casa, mas sem sequer ter um computador.


O trabalho remoto funciona, já tive essa experiência como funcionário e hoje esse é o modelo do OVNI Estúdio Criativo. Acredito que esse seja o futuro. É um modelo onde há mais a ganhar do que a perder para o empregado e para o empregador: economia de tempo e dinheiro com locomoção, menos estresse e maior produtividade, entre outras vantagens. O trabalho remoto requer disciplina para que o planejamento e os cronogramas sejam atendidos e, claro, uma legislação que favoreça ou organize essa história.


Folha de pagamento

Faça o possível e o impossível para não demitir seus funcionários nesse momento. Agora não é hora de demissões. Imagine quanta gente sem trabalho depois que isso passar! Sem mencionar que, quem fica, terá sua segurança abalada pensando que pode ser o próximo. Nós conhecemos bem os problemas causados por uma alta taxa de desemprego. Então, demissão, só em caso extremo.


Agora, se você está achando que algum profissional não atende à suas expectativas, por que o manteve até agora? Por que nunca propôs um treinamento ou algum tipo de especialização? Esse é um problema de gestão que precisa ser sanado para melhorar sua produtividade. Não veja os pagamentos de salário como uma despesa, veja-os como um investimento e invista em seus colaboradores. Sem bons funcionários não há boas empresas.


Por outro lado, noto a tendência maliciosa de nossos governos para dividirem o empregado e o empregador. O que me parece uma coisa totalmente sem fundamento, afinal, um precisa do outro e o estado precisa dos dois. Precisamos rever esse pensamento de “bandido e mocinho” bem como as leis que regem as relações de trabalho para nos prepararmos para mudanças vindouras.


Mundo virtual

Não é raro eu ouvir empresários e empreendedores dizendo “não acredito na internet! Isso aí é besteira. Pra mim não serve.” Pois é… e agora, estão vendendo como? Se eu acredito que o trabalho remoto é o futuro, imagina o que penso do marketing digital e das vendas online! Talvez por ser um tipo mais caseiro e até meio recluso eu seja um consumidor mais ativo na internet e, como eu, existe muita gente. Para tudo existe um aplicativo, um site ou uma ferramenta online.


Não estamos mais nos anos 60, aliás, nem nos 90. Se os mais velhos consomem pela internet, pense nas novas gerações que já nasceram com celulares na mão e estão online 24h. Se o seu negócio não tem presença digital, está perdendo muitas oportunidades.


Investimentos

Mantenha seus investimentos de marketing a todo custo. Pode ser duro, eu sei, mas lembre-se que isso vai passar e o mercado também funciona por mecanismos parecidos com a teoria da seleção natural de Darwin. Trocando em miúdos, só os fortes sobrevivem. Se seu negócio não vendia antes, não é culpa do vírus. Se vendia bem, pode dar uma caída, mas evite maiores prejuízos divulgando seu produto ou serviço.


Lembra que eu falei que seu funcionário é um investimento? Pois bem, nessa situação de incertezas muitos profissionais estão preocupados e algumas empresas estão de olho nos melhores. É comum surgirem algumas super equipes depois das crises. Seu concorrente pode fazer uma oferta irrecusável para um de seus especialistas.


Propaganda e marketing

As crises são como tsunamis, elas vêm com força, levam embora o que vêem pela frente, sobretudo os menores, os menos estáveis e se vão. Depois disso o mercado se renova. O coronavírus tem um prazo de validade, então mantenha sua marca na cabeça do seu consumidor. É hora de passar na frente.


O marketing digital e as formas de propaganda online são opções de baixo custo e alto retorno. Se sua empresa não está online, essa é a deixa para começar. Fazer o mínimo já é melhor do que não fazer nada. Então comece agora mesmo a divulgar seu negócio online. O e-commerce registra boas taxas de crescimento, invista nisso.


Abuse da tecnologia e crie mais pontos de contato com seu cliente. Divulgue sua marca, esteja nas redes sociais, no Google Meu Negócio, nas caixas de email, amplie seu network (online, claro). Seja visto para ser lembrado. Logo as coisas voltam para os trilhos e os lembrados serão os primeiros.


Oportunidades e oportunismo

Uma vez que as soluções habituais começam a falhar, oportunidades vão surgindo em um mercado em crise. Aproveite essas oportunidades, faça diferente, seja criativo. Para quem está no ramo dos restaurantes e lanchonetes, uma boa ideia é implementar um drive-thru, assim, seus clientes podem retirar seus pedidos sem sair do carro. Só não me vá arrumar problemas com a companhia de trânsito de sua cidade.


É possível também enviar versões digitais de seus catálogos de produtos ou cardápios para seus clientes e disponibilizar deliverys. Fazer parcerias com empresas de entregas ou cadastrar-se em aplicativos do gênero pode ser um alternativa viável.


Lembre-se que essa é uma crise de saúde, então não seja oportunista tentando se aproveitar das pessoas nesse momento de fraqueza. Aumentar preços de produtos essenciais, estocar insumos ou atitudes do tipo são vis e desprezíveis. Agora é hora de estarmos juntos, mesmo distantes.


Adote medidas sanitárias

Algumas empresas precisam encarar a situação de frente e continuar trabalhando. Nesses casos, adote todas as medidas sanitárias cabíveis. Seja numa linha de produção, com os profissionais de entrega ou pessoal de manutenção. Todos precisam se cuidar. Oriente e incentive seus funcionários a usar os equipamentos de segurança e a adotar as técnicas de distanciamento e higiene propostos. Não entre nem incentive o pânico. Cuidado é diferente de paranóia. Caso precise de informações, consulte órgãos confiáveis como a Organização Mundial da Saúde.


Pessoas e negócios

Empresas são feitas por e para pessoas. É fundamental que estejamos aptos física, emocional e psicologicamente, portanto, mantenha sua mente sã. Leia, aprenda e ensine. Aproveite a enxurrada de recursos online disponíveis gratuitamente ou devore aquele livro que ainda não havia lido por falta de tempo ou dedique-se a hobbies.


Tente não agir por impulso e procure manter a calma frente às dificuldades que estão surgindo, tanto no âmbito pessoal como no corporativo. Tome decisões pessoais com o coração e comerciais com a mente, nunca esquecendo que somos partes de um todo.


Conclusão

Não é hora de egoísmo, regionalismo ou qualquer tipo de segregação. Sem negociatas e politicagem de baixo calão. Somos responsáveis por nós e pelos outros. Precisamos fazer nosso melhor e nos mantermos firmes. Essa pandemia vai acabar logo e estou certo que sairemos dela mais fortes.


 

OVNI Estúdio Criativo

Uma agência full service sempre pronta para atender à todas as demandas de design estratégico, marketing e comunicação corporativa que sua empresa possa ter.


C O N H E Ç A A L G U N S P R O J E T O S

 

#comunicação #marketing #propaganda #planejamento #estratégia
88 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo